O sistema linfático é uma rede de tubos delicados por todo o corpo. Ele drena fluido (chamado linfa) que vazou dos vasos sanguíneos para os tecidos e os esvazia de volta para a corrente sanguínea através dos gânglios linfáticos. Entender o funcionamento desse sistema pode te ajudar nos estudos e na compreensão do funcionamento do corpo humano.

Função do sistema linfático no corpo humano

Os principais papéis do sistema linfático incluem:

  • Gerenciar os níveis de fluidos no corpo
  • Reagir a bactérias
  • Lidar com células cancerígenas
  • Lidar com produtos celulares que de outra forma resultariam em doenças ou distúrbios
  • Absorver algumas das gorduras em nossa dieta do intestino.

Os gânglios linfáticos e outras estruturas linfáticas, como o baço e o timo, contêm glóbulos brancos especiais chamados linfócitos. Estes podem multiplicar-se rapidamente e libertar anticorpos em resposta a bactérias, vírus e uma variedade de outros estímulos de células mortas ou moribundas e células de comportamento anormal, como as células cancerígenas.

Como é composto o sistema linfático?

O sangue nos nossos vasos sanguíneos está sob pressão constante. Precisamos disso para empurrar nutrientes (alimentos que as células precisam), fluidos e algumas células para os tecidos do corpo para suprir esses tecidos com comida, oxigênio e defesa.

Todos os fluidos e seus conteúdos que vazam para os tecidos (assim como os produtos residuais formados nos tecidos e as bactérias que os penetram através de nossa pele) são removidos deles pelo sistema linfático.

Quando o sistema linfático não drena os fluidos dos tecidos adequadamente, os tecidos incham, parecendo inchados e desconfortáveis. Se o inchaço só dura por um curto período, é chamado edema. Se durar mais (mais de três meses), é chamado linfedema.

Vasos linfáticos

Os vasos linfáticos são encontrados em todo o corpo. Geralmente, áreas mais ativas têm mais delas.

Os vasos linfáticos menores, que absorvem os fluidos, são chamados de capilares linfáticos. Os vasos linfáticos maiores têm músculos em suas paredes, o que os ajuda a pulsar suavemente e lentamente. Estes vasos linfáticos maiores também têm válvulas que impedem a linfa de voltar para o lado errado.

Os vasos linfáticos levam a linfa de volta aos gânglios linfáticos (são cerca de 700 no total), que são encontrados em nossa axila e na virilha, bem como em muitas outras áreas do corpo, como boca, garganta e intestinos.

O líquido que chega nos gânglios linfáticos é verificado e filtrado. A maior parte continua até onde o sistema linfático da maior parte do nosso corpo (o braço esquerdo, a barriga, o peito e as pernas) se esvazia na área do ombro esquerdo. A linfa do braço e do rosto direito e parte do tórax direito desaguam no sangue na região do ombro direito.

Funções do sistema linfático

O sistema linfático é uma rede de tubos que coletam líquidos do nosso corpo e dá a eles o destino adequado. (Foto: bioanadrasis.com)

Baço

O baço está localizado na área abdominal (barriga) no lado esquerdo, logo abaixo do diafragma. É o maior dos nossos órgãos linfáticos.

O baço faz muitas coisas enquanto filtra e monitora nosso sangue. Ele contém uma gama de células, incluindo macrófagos – os caminhões de lixo do corpo. Também produz e armazena muitas células, incluindo uma gama de células brancas do sangue, todas importantes para a defesa do nosso corpo.

Além de remover micróbios, o baço também destrói glóbulos vermelhos velhos ou danificados. Também pode ajudar a aumentar rapidamente o volume de sangue se uma pessoa perder muito sangue.

Timo

O timo está dentro da caixa torácica, logo atrás do esterno. Ele filtra e monitora nosso conteúdo de sangue. Produz células chamadas linfócitos T que circulam pelo corpo. Estas células são importantes para a resposta mediada por células a um desafio imunológico, tal como pode ocorrer quando temos uma infecção.

Outros tecidos linfoides

Muito do nosso sistema digestivo e respiratório é revestido de tecido linfático. É necessário lá porque esses sistemas estão expostos ao ambiente externo. Este tecido linfático desempenha um papel muito importante na defesa do nosso corpo.

Os locais mais importantes desse tecido linfoide estão na garganta (denominados amígdalas), na área do intestino (denominados emplastros de Peyer) e no apêndice.

Gânglios linfáticos

Os linfonodos são filtros. Eles são encontrados em vários pontos ao redor do corpo, incluindo a garganta, axilas, peito, abdômen e virilha. Geralmente eles estão em cadeias ou grupos. Todos estão imersos em tecido adiposo e ficam perto de veias e artérias.

Os gânglios linfáticos têm uma ampla gama de funções, mas geralmente estão associados à defesa do corpo. Bactérias (ou seus produtos) coletadas dos tecidos por células chamadas macrófagos, ou aquelas que fluem para a linfa, são forçadas a percolar os gânglios linfáticos. Lá, os glóbulos brancos chamados linfócitos podem atacar e matar as bactérias. Vírus e células cancerosas também são aprisionados e destruídos nos gânglios linfáticos.

Mais linfócitos são produzidos quando você tem uma infecção. É por isso que seus nódulos linfáticos tendem a inchar quando você tem uma infecção.

Problemas comuns que envolvem o sistema linfático

Problemas comuns que envolvem o sistema linfático podem ser separados naqueles relacionados a:

  • Infecção
  • Doença
  • Destruição ou dano ao sistema linfático ou seus nódulos.

Aqueles relacionados à infecção incluem:

  • Febre glandular – os sintomas incluem linfonodos sensíveis
  • Amigdalite – infecção das amígdalas na garganta
  • Doença de Crohn – distúrbio inflamatório intestinal.

Aqueles relacionados à doença incluem:

  • Doença de Hodgkin – um tipo de câncer do sistema linfático.

Aqueles relacionados a malformação ou destruição ou dano ao sistema linfático ou seus nódulos incluem:

Linfedema primário, quando o sistema linfático não se formou adequadamente. Pode apresentar-se como um membro ou parte do corpo inchado no nascimento, ou pode desenvolver-se na puberdade ou mais tarde na vida

Linfedema secundário, quando o sistema linfático é lesado por cirurgia ou radioterapia associada ao tratamento do câncer, quando os tecidos moles são lesados ​​pelo trauma ou quando o sistema linfático tem alguma outra causa de comprometimento estrutural ou funcional.

Ficou alguma dúvida sobre o sistema linfático? Deixe nos comentários suas perguntas para que possamos ajudar!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)