Há muitas vezes na vida em que você ouviu alguém pregar sobre a importância do equilíbrio. Como um conceito geral, manter as coisas equilibradas é amplamente promovido como a melhor maneira de aumentar sua saúde, felicidade e atitude. O equilíbrio pode parecer um conceito abstrato, mas está presente em muitas partes da nossa vida cotidiana, variando do equilíbrio dos alimentos que comemos e do tempo que passamos no escritório versus casa, até as crenças políticas que mantemos e nossa capacidade. ficar fisicamente ereto enquanto caminhava pela rua. Goste ou não, encontrar equilíbrio é um elemento importante de sobrevivência.

Como tantas vezes se encontra neste belo universo nosso, o microcosmo reflete o macrocosmo, e o equilíbrio é tão importante no nível celular quanto no cotidiano. No entanto, quando se trata do nível microscópico, encontrar equilíbrio tem muito a ver com solutos e solventes, concentrações de materiais dentro e fora das células, que determinam a quantidade de água que precisa se deslocar para fora das células. Alcançar esse equilíbrio adequado e saudável requer um processo passivo e perpétuo, no qual todas as células vivas dependem: a osmose!

O que é a osmose?

Por definição, osmose é o movimento de qualquer solvente através de uma membrana seletivamente permeável em uma área de maior concentração de soluto, cujo resultado será uma equalização da concentração de soluto em ambos os lados da membrana. Esse equilíbrio é importante para a função eficiente e otimizada das células; Como mencionado anteriormente, o equilíbrio é o estado preferido em um ambiente natural.

Enquanto qualquer solvente pode sofrer o processo de osmose, incluindo líquidos supercríticos e alguns gases, a maioria da discussão em torno da osmose diz respeito ao movimento da água nas células. A regulação do movimento da água em todo o nosso corpo é feita através da manipulação de concentrações de solutos e osmose. A absorção ou difusão da água ajuda a fornecer, inconscientemente, estabilidade e funcionalidade a todas as células, tecidos e órgãos do nosso corpo.

Soluções osmóticas

Existem três tipos de soluções – soluções isotônicas, hipertônicas e hipotônicas – nas quais a osmose desempenha um papel fundamental e ocorre de maneira diferente; É necessário compreender esses exemplos básicos antes de aprender sobre os detalhes mais interessantes e complexos da osmose, bem como sobre sua importância em muitos aspectos de nossa sobrevivência.

O que é solução isotônica?

Se você colocar uma célula em uma solução isotônica (em relação à célula), a concentração de solutos é par, significando que a água pode entrar e sair da célula em uma taxa igual. A osmose ocorrerá, mas em um ritmo equilibrado, o que significa que a célula não vai inchar ou encolher. Por exemplo, se tanto o solvente quanto o citoplasma de sua célula forem compostos de 75% de água e 25% de sal, as concentrações serão iguais e não haverá movimento líquido de água através da membrana seletivamente permeável.

Equilíbrio com a osmose

A osmose é o equilíbrio entre dois meios, um processo essencial para a vida. (Foto: ProProfs)

O que é solução hipotônica?

Se você colocar uma célula em uma solução hipotônica (em relação à célula), a água irá fluir para a célula, a fim de igualar a concentração do solvente. O melhor exemplo dessa situação é o modo como os seus dedos se afagam depois de você nadar. A concentração de sais e outros solventes em suas células da pele é maior do que a água do lago ou piscina, assim a água se move para dentro dessas células, fazendo com que elas inchem e enruguem. Imagine colocar uma célula com 60% de água e 40% de sal em uma solução com 80% de água e 20% de sal. A água fluiria da solução para a célula até que um equilíbrio de 70% de água e 30% de sal fosse alcançado. Em casos extremos dentro de uma célula, quando muita água é ingerida, ela pode inchar e sobrecarregar a célula, causando morte celular.

O que é solução hipertônica?

Quando uma célula é colocada em uma solução hipertônica (em relação à célula), haverá uma maior concentração de soluto fora da célula, assim a água se difundirá para longe da célula, em direção à solução hipertônica, a fim de equilibrar a concentrações de solvente. Essencialmente, a célula será sugada a seco e tornada flácida, para compensar o excesso de soluto fora da membrana. Em casos extremos, a célula encolhe o suficiente para que a membrana celular se desprenda da parede celular e se torne plasmolizada. Sem água para mover as várias moléculas na célula, ela morrerá.

A importância prática da osmose

Agora que você entende os processos básicos da osmose e quais condições diferentes farão com que a osmose ocorra, você poderá ver o valor desse processo em tantas áreas para cada forma de vida.

Para as plantas, a osmose é responsável pelo movimento da água no sistema radicular, o que permite que a planta cresça e sobreviva. Os pelos radiculares das plantas são o ponto-chave em que os minerais e a água são levados para dentro do organismo. A concentração de moléculas de água é menor nos pelos radiculares do que no solo (solução hipertônica), de modo que a água se move para dentro das células dos pelos radiculares; a osmose continua através de numerosas camadas de células (movimento célula a célula) até que a água atinja os tubos do xilema (equivalente às veias humanas).

Em uma nota relacionada, quando a água é levada para as células das plantas, a pressão causada por esse movimento osmótico é chamada de turgidez. Quando o equilíbrio é alcançado, essas células vegetais devem estar cheias de água, bem como firmes e túrgidas. Isso evita que as folhas murchem, permitindo que aumentem sua área de superfície para a captura da luz solar. A osmose também ajuda a proteger as plantas contra os danos causados ​​pela seca e pelo gelo, bem como na regulação da abertura e fechamento dos estômatos.

Para animais (humanos), algumas das principais funções osmóticas estão relacionadas ao balanço do conteúdo de água no sangue versus os tecidos circundantes. Da mesma forma, nos rins, osmose controla a quantidade de acúmulo de resíduos, aumentando o fluxo de fluidos para esse órgão. Quando a concentração de soluto é maior nas células renais (solução hipertônica), a água é puxada da corrente sanguínea do corpo para os rins (néfrons), que eventualmente estimulará a necessidade de urinar em uma pessoa / animal, eliminando assim os resíduos indesejáveis.

Onde quer que a água esteja presente no corpo, que é essencialmente em todo lugar, a osmose estará acontecendo. A manutenção do equilíbrio de concentração de solventes e solutos é um trabalho de corpo inteiro em período integral. A extensão total do comportamento osmótico no corpo está além do escopo deste artigo, mas basta dizer que sem osmose, a vida como a conhecemos não seria o mais próximo possível!

O que você entendeu da osmose? Quais outras reações no corpo você também conhece?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)