Para melhor ou pior, estudar faz parte da vida. É também uma técnica que requer paciência, prática e tentativa e erro. Ao pensar em estudar os métodos certos para você, considere as dicas abaixo. Você pode encontrar técnicas que irão ajudá-lo a tirar o máximo proveito de suas aulas, encontrando a a melhor forma de estudar para você.

A melhor forma de estudar é com material impresso

Tablets e outros meios de eLearning são convenientes e portáteis, mas pesquisas sugerem que os materiais impressos tradicionais ainda tem a vantagem quando se trata de estudar. Alguns pesquisadores argumentam que a adoção de hábitos interativos como rolagem, cliques e apontamentos aumenta a experiência acadêmica, mas a maioria dos estudantes ainda preferem uma cópia impressa ou impressa quando se trata de estudar e trabalhar na escola. Além disso, os alunos precisam de mais repetição para aprender material novo se estiverem lendo na tela do computador versus lendo o material impresso.

A melhor maneira de estudar é com a música

Enquanto alguns especialistas argumentam que a capacidade de se concentrar durante o silêncio ou ouvir música enquanto estuda é deixada à mercê de preferências pessoais, muitos concordam que tocar certos tipos de música pode ajudar os alunos a envolver partes do cérebro que ajude-os a prestar atenção e fazer previsões. Para não mencionar, ouvir música pode melhorar o seu humor e mudar sua visão geral sobre o estudo em geral.

O melhor jeito de estudar envolve exercícios físicos

Os benefícios do exercício no cérebro foram bem estabelecidos nos campos da saúde, fitness e psicologia. Estudos mostram que nossa inteligência recebe um impulso após um curto exercício, já que nossos corpos estão bombeando oxigênio e nutrientes para o cérebro. Suar um pouco antes de ler os livros pode torná-lo mais alerta, aberto e capaz de aprender novas informações durante a sua sessão de estudo pós-treino.

A melhor forma de estudar é relaxando

O estresse dificulta o aprendizado. O estresse que dura apenas algumas horas pode envolver hormônios liberadores de corticotropina que atrapalham o processo de criar e armazenar memórias. Fazer pausas nos estudos para fazer exercícios ou respirar profundamente ajudará você a estudar se eles reduzirem seu nível de estresse.

Quando e onde estudar influenciam na melhor forma de estudar

Embora você possa pensar que as sessões de estudo de fim de noite são desvantajosas para o seu sucesso acadêmico, a pesquisa sugere que elas não são necessariamente uma má ideia. Além disso, alguns psicólogos até incentivam os alunos a romper com suas rotinas diárias da vida de estudos, especialmente quando se trata de estudar para uma prova.

Estudar melhor

Aprenda a estudar melhor para obter resultados que te deixarão mais orgulhoso. (Foto: billcutterz.com)

O cansaço pode ajudar na melhor forma de estudar

Estudar cansado ​​pode ajudar seu cérebro a manter concentrações mais altas de novas habilidades, como falar uma língua estrangeira ou tocar um instrumento. Existe até um termo para isso: o aprendizado do sono. Como o processo de consolidação da memória faz seu melhor trabalho durante o sono de ondas lentas, seu cérebro pode obter tanto a restauração quanto a reativação de que necessita durante seu período de descanso. Tudo isso significa que a revisão dos materiais de estudo antes de dormir pode ajudar o cérebro a aprender, mesmo durante o sono.

Mudar o cenário ajuda a criar melhores estudos

Uma mudança de cenário afeta as habilidades de aprendizado e concentração. Simplesmente mudar para uma sala diferente para estudar (ou dar um passo além e aprender entre as atividades ao ar livre) poderia aumentar seus níveis de concentração e retenção.

A curva do esquecimento deve ser superada

Os cientistas começaram a explorar a “curva do esquecimento” em 1885, mas o conceito continua sendo útil para os hábitos de estudo de hoje. A essência da “curva do esquecimento” é: na primeira vez que você ouve uma palestra ou estuda algo novo, você retém até 80% do que você acabou de aprender se você analisar o material em 24 horas. Felizmente, esse efeito é cumulativo; Assim, após uma semana, você poderá reter 100% das mesmas informações após apenas cinco minutos de análise. Geralmente, os psicólogos concordam que este tipo de intervalo de estudo, em oposição a “estudar”, é o melhor, e que os alunos devem estudar mais perto do dia em que aprenderam o material do que no dia do teste.

Usando o chamado ativo para os estudos

Este método de estudar sugere que os alunos devem usar a recordação ativa: fechando o livro e recitando tudo o que pudessem lembrar até aquele ponto para praticar memorização a longo prazo de materiais, o que pode ajudar bastantes a guardar mais conteúdo no longo prazo.

Use o sistema Leitner para seus estudos

Batizado em homenagem ao seu criador, o cientista alemão Sebastian Leitner, o método de estudo força os alunos a aprender através da repetição o material que eles menos conhecem. O sistema envolve mover cartas com perguntas respondidas corretamente mais abaixo em uma linha de caixas e mover cartas respondidas incorretamente de volta para a primeira caixa. Assim, os cartões na primeira caixa são estudados com mais frequência e o intervalo torna-se maior à medida que o aluno avança na linha, forçando-a a rever várias vezes as informações que ela não conhece.

Use testes práticos para melhorar seu conhecimento

Aproveite os professores e instrutores que disponibilizam exames antigos como testes práticos. Você pode ter uma ideia do estilo de teste do instrutor e familiarizar-se com a forma como a informação pode ser apresentada no dia real do teste. Os alunos que se testaram com um teste prático depois de aprender o material retiveram 50% mais da informação uma semana depois do que os colegas que não realizaram um teste prático.

Faça conexões para melhores estudos

Especialistas argumentam que a diferença entre “aprendizes lentos” e “estudiosos rápidos” é a maneira como estudam; por exemplo, em vez de memorizar, “aprendizes rápidos” fazem conexões entre ideias. Conhecida como aprendizagem contextual, esse processo exige que os alunos personalizem seus próprios métodos de aprendizagem, fazendo conexões que inspirem todas as informações a se encaixarem e façam sentido para elas individualmente. Alguns alunos acham que registrar todas as informações visualmente em um só lugar (como em uma folha de papel ou quadro-negro) pode ajudar a pintar um quadro mais completo e a auxiliar suas conexões no processo de aprendizado.

Tente o método de caderno de anotações de Fenyman

O físico Robert Fenyman criou este método de aprendizado baseado na organização, escrevendo na página de título de um caderno vazio “caderno de coisas que eu não conheço”. A partir daí, ele desenvolveu uma técnica de desconstrução e reconstrução de idéias, em um esforço para entender até mesmo os conceitos mais complicados. Para usar esse método e aprender a estudar de maneira eficaz, primeiro identifique o que você quer aprender. Então, tente explicá-lo como você faria com uma criança de cinco anos de idade. O método Fenyman é ideal para usar analogias para ilustrar melhor seu conceito (por exemplo, um bonsai é como uma árvore grande, mas menor).

Seja um professor para aprender

A pesquisa mostra que os alunos tem melhor memória e habilidades de recordação quando aprendem novas informações com a expectativa de ter que ensiná-las a outra pessoa. Isso faz sentido, já que os professores são encarregados não apenas de aprender informações para si mesmos, mas também de organizar elementos-chave da informação para explicá-la claramente aos outros. Estudos também sugerem que os alunos estão mais engajados e instintivamente buscarão métodos de recordação e organização quando se espera que assumam um papel de “professor”. Isso pode ser especialmente eficaz em assuntos como compreensão de leitura e ciência, embora parte da magia envolva descobrir como você “ensinaria” cada assunto, caso a caso.

Pense sobre seus pensamentos para aprender melhor

A metacognição, ou pensar sobre o pensamento, prospera na autoconsciência. Para conseguir isso, os alunos precisam ser capazes de avaliar seu nível de habilidade e onde estão em seus estudos, bem como monitorar seu bem-estar emocional em torno de atividades de estudo potencialmente estressantes.

Não exagere nos estudos

Depois de poder percorrer os seus flashcards sem cometer um único erro, poderá sentir uma sensação de satisfação e encerrá-la um dia, ou poderá sentir-se carregado de adrenalina e ser tentado a continuar a estudar. Quando você chegar a essa bifurcação na estrada, lembre-se de que houve um início agudo de retornos decrescentes durante o “superaprendizado”. Com um tempo limitado para estudar cada tópico, é melhor você passar para outra coisa.

Não seja multitarefa durante os estudos

Multitarefa é um mito. Você pode pensar que está matando dois coelhos com uma cajadada só por mensagens de texto enquanto estuda, por exemplo, mas na verdade está formando maus hábitos de estudo. Segundo os pesquisadores, a chamada “multitarefa” aumenta seu tempo de estudo e, em última análise, pode prejudicar suas notas.

Não foque nos estilos de aprendizagem

Pesquisadores e especialistas em aprendizagem debatem o conceito de estilos de aprendizagem, alguns chegam a dizer que eles não existem. Apesar da quantidade de trabalho sobre o assunto, os cientistas encontraram praticamente nenhuma evidência para apoiar o conceito de estilos de aprendizagem, embora tenham deixado a possibilidade de investigações futuras nos próximos anos. Recomendamos que você não se esforce para tentar adequar seu material a um estilo específico, pois pode não valer a pena o tempo ou o esforço.

Não foque em um assunto por tempo demais

Se você nunca se sentiu “esgotado” ao estudar repetidamente páginas de anotações de história, examinar fórmulas químicas ou praticar escalas de música, considere-se com sorte. Mas saiba que a ameaça é real. É melhor variar seu material em vez de insistir persistentemente em uma área. É aceitável juntar áreas de assunto relacionadas ou semelhantes; por exemplo, em vez de apenas memorizar vocabulário, misture também a leitura. Se estiver fazendo matemática, inclua vários conceitos juntos, em vez de apenas um.

A melhor maneira de estudar é um conjunto de práticas que vão te ajudar a melhorar a qualidade dos estudos.

Como vocês melhoram os estudos? Quais práticas funcionam melhor?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)